A IMPORTÂNCIA DO ESPORTE NA EDUCAÇÃO INFANTIL

A IMPORTÂNCIA DO ESPORTE NA EDUCAÇÃO INFANTIL

MARINA DA SILVA COUTINHO

RESUMO

O esporte na escola é de grande importância para que haja melhor socialização do educando e o conduza à formação de valores e atitudes desenvolvendo-o à cidadania como prática libertadora e igualitária. Nesta perspectiva trabalho será realizado de forma bibliográfica através artigos e autores que tratem o tema do projeto com intenção de detectar as dificuldades encontradas por muitos professores em relação ao trabalho do esporte na escola e em como os professores têm utilizado a pouca disponibilidade de estrutura física e material para realizar as aulas. Os autores pesquisados permitiram um olhar diferenciado a respeito do estimulo a prática da Educação Física na escola e do trabalho realizado pelo professor nesta disciplina. Assim, possibilitou o alcance do resultado esperado para este trabalho, permitindo encontrar os caminhos alternativos para uma educação de qualidade, tornando os educandos cidadãos críticos, reflexivos e criativos, capazes de se socializarem de forma libertadora e autônoma.

Palavras Chaves: Formação, Educação Física e Esporte Escolar.

1. INTRODUÇÃO

Esse trabalho tem como objetivo através compreender o motivo da falta de disciplina dos alunos na sala de aula, tirar o aluno do ambiente da sala de aula, um novo tema a ser abordado como matéria no curso de pedagogia. Estimular e manter as notas altas através da prática de esporte, fazendo com que a escola se torne um ambiente mais prazeroso.
A Educação Física assim como em qualquer disciplina é construída a partir de processos de negociação e disputa de valores, tendo o papel de formação integral do educando e esta formação poderá ser realizada através de esportes como: preparação do corpo para o mundo do trabalho; formação de atletas; terapia psicomotora; reconhecimento de espaço e tempo; lazer e até como instrumento para disciplinar o corpo.
A relevância do trabalho está em fazer com que os alunos e professores saibam reconhecer a importância das práticas esportivas para combater o sedentarismo, obesidade infantil, trazer uma realidade diferente para o aluno, tornar o ambiente escolar prazeroso. Fazendo que os alunos tenham um melhor desempenho, com o avança da tecnologia as crianças estão muito voltadas para jogos de vídeo game e o uso de diversas tecnologias em geral, tendo em vista que as crianças e adolescentes tem deixado de viver sua infância com brincadeiras e jogos que exploram sua criatividade fora do ambiente tecnológico provocando muitas vezes consequências negativas físicas ou psicológicas.
A importância do esporte na prática do ensino-aprendizagem sendo utilizado como um instrumento transformador na educação para que se haja um desenvolvimento saudável e que se crie um ambiente seguro para que as crianças possam desenvolver suas habilidades físicas e intelectuais, aprendendo o trabalho em grupo e colaborar entre si.
Entende assim que a Educação física e Esporte Escolar, tratando os respectivos conteúdos que lhe são específicos, têm como finalidade educativa propiciar aos educandos desenvolver aprendizagens em conhecimentos e competências que lhe possibilitem escolhas futuras. Entre estas escolhas pode-se enumerar: a de manifestar sua identidade, reconhecer sua identidade e dos demais, respeitar a coletividade e, portanto, exercer com maior plenitude sua cidadania.
Tem – se a intenção de ressaltar a importância da educação física nas escolas, para a formação dos alunos e dos docentes em suas práticas pedagógicas, investigando aspectos relacionados ao esporte e sua influência na socialização dos alunos no ensino da Educação Física escolar. Os autores pesquisados possibilitam analisar sobre as prescrições da Educação Física na escola e do trabalho realizado pelo professor.

2. O ESPORTE NO CONTEXTO ESCOLAR

Atualmente as crianças não envolvem- se com atividades esportivas. Isso é um grande problema, pois elas são de grande importância para o desenvolvimento dos alunos, nesse sentido é visto que a educação física tem um papel importante na escola por isso:
A capacidade da criança se movimentar é essencial para que ela possa interagir com si mesma e com o meio ambiente em que vive; os quais desempenham um papel formidável na extensão dos limites do crescimento e do seu desenvolvimento, sendo este um processo demorado e sucessivo. Além da maturação, as experiências e as características individuais agem no processo do desenvolvimento da criança. (SORATO e MIRANDA, 2017, p.11188)

Segundo Neuenfeldt e Canfíeld, a educação física escolar vem sendo arquitetada como recreação ou como uma prática esportiva iludida com os valores do esporte de rendimento. Isso necessita de prudência.
Os alunos aprendem bastante através da prática esportiva, valores fundamentais que levam para a vida, como: respeito, união, socialização e amizade. O professor deve explorar ao máximo essa área da educação, pois o aluno não aprende só no papel e dentro da sala de aula, um exercício, uma brincadeira pode ensinar muito mais.
2.1 DESAFIOS ENCONTRADOS DA INSERÇÃO DO ESPORTE NA ESCOLA
Deve-se levar em consideração algumas questões ao se tratar novas perspectiva sobre o esporte na escola, como: Qual metodologia usar? Esporte é instruído somente na forma recreativa ou também educativa? Como a educação física pode ajudar na formação do cidadão? Quais os objetivos do esporte na escola?
Muitos professores possuem receio em ministrar matérias como artes, educação física e música. Dizem não serem formados para executar este trabalho, relevando não terem sido ensinados em seus respectivos cursos de formação, seja na formação de professores, no curso de pedagogia ou em formações de matérias específicas que não sejam artes, música e educação física.
Por vivermos num contexto de profundas transformações culturais, epistemológicas, ideológicas, sociais e profissionais, estruturante de revoluções nos diversos campos de conhecimento, de informação e de tecnologia, porém responsável por educar as novas gerações, a preocupação com os processos formais e não formais pelos quais os professores aprendem a ensinar continuam sendo relevantes. A produção acadêmica (pesquisas, artigos, dissertações e teses) vem ressaltando a urgência quanto à reformulação da configuração atual de oferta de Cursos de Formação de Professores, como a que ocorre em Cursos de Pedagogia. ( VAGULA, 2008 pag.20)
A autora Vagula , acredita que o curso de formação de professores não é satisfatório. Um dos motivos é a falta de criatividade do professor, falta de inovação em suas aulas. A autora acredita que é necessário o combate à reprodução de práticas de ensino, porque, frequentemente, esse tipo de prática não se fundamenta em um espírito crítico ou em um esforço para mudanças.
Não pode se culpar unicamente o professor, os alunos estão cada dia mais desmotivados, os jogos eletrônicos e os celulares estão deixando-os ociosos. É muito difícil para o professor prender a atenção do aluno, torná-lo interessado ao conteúdo.
Nos Estados Unidos a formação esportiva está ligada a educação. O estudante americano tem nas escolas e universidades a oportunidade de se formar como atleta sem desvalorizar seus estudos. Eles devem manter suas notas altas para participar das atividades extracurriculares. No Brasil, isso é bem diferente, o rendimento escolar não interfere um jovem a ser jogador futebol. Logo, o estudo é desvalorizado ou o esporte, ao falar que alguma modalidade esportiva não vai ensinar ninguém.
O futebol é uma modalidade muito conhecida em nosso país, mas não se deve esquecer das outras atividades esportivas. O professor de educação física deve mostrar aos alunos que o esporte não é só para seguir carreira. Já na educação infantil, é possível aderir várias categorias de esportes e jogos para atividade física e lúdica.
Na educação infantil, o esporte é indispensável. Muitas vezes o professor está usando uma atividade para ensinar e nem se atenta que aquilo é um esporte. Os professores da educação infantil não devem ter medo de atuar como educadores de educação física. O desenvolvimento da criança possui fases, segundo Piaget “no Estágio simbólico, que é dos 2 até por volta dos 7 anos, o pensamento da criança está centrado nela mesma, é um pensamento egocêntrico.”. Sabendo-se disso, é nítido a importância de se trabalhar com a criança para que ela possa progredir e aperfeiçoar.
O esporte auxilia o aluno em se desenvolver em vários aspectos, como: Companheirismo, universo lúdico, espírito competitivo, ordem, trabalho em grupo, respeito ao próximo e noções espaciais.
O princípio ético do esporte-prática propõe que, durante o trabalho como os esportes, reflita-se e discuta-se com os alunos quais são atitudes corretas ao se praticar algum esporte, o que é função da ética, buscando-se estabelecer valores que devem nortear a conduta dos alunos na prática esportiva, ou seja, estabelecer uma moral esportiva.( NEUENFELDT, CANFIELD )

Sendo assim, sabe-se que a prática de esportes nas escolas é fundamental. A sociabilidade por meio dos esportes é algo histórico. As crianças devem desde cedo trabalhar em coletivo, para aprender a ser sociáveis, saber perder e estimular o raciocínio lógico. As escolas devem incorporar a atividade física através de jogos, gincanas, olimpíadas e aulas de educação física.
Por isso, as situações de ensino e aprendizagem contemplam as possibilidades de o aluno arriscar, vacilar, decidir, simular e errar, sem que isso implique algum tipo de humilhação ou constrangimento. A valorização no investimento que o indivíduo faz contribui para a construção de uma postura positiva em relação à pesquisa corporal, mesmo porque, a rigor, não existe um gesto certo ou errado e sim um gesto mais ou menos adequado para cada contexto. No âmbito das práticas coletivas da cultura corporal com fins de expressão de emoções, sentimentos e sensações, as relações de afetividade se configuram, em muitos casos, a partir de regras e valores peculiares a determinado contexto estabelecido pelo grupo de participantes. Assim, é a partir do fato de uma atividade se revestir de um caráter competitivo ou recreativo, se a eficiência ou a plasticidade estética serão valorizadas, ou se as regras serão mais ou menos flexíveis, que serão determinadas as relações de inclusão e exclusão do indivíduo no grupo. Na escola, portanto, quem deve determinar o caráter de cada dinâmica coletiva é o professor, a fim de viabilizar a inclusão de todos os alunos. Esse é um dos aspectos que diferencia a prática corporal dentro e fora da escola.(BRASIL, 1997, p.30)

Percebem-se, ainda, possibilidades de ampliações e conquistas dos direitos da Educação Física e do Esporte Escolar pelos alunos da Educação Básica, especialmente nas séries iniciais do Ensino Fundamental, porém as regulamentações necessitam ser constantemente aperfeiçoadas para inibir situações de precariedade, principalmente se pensarmos nas realidades de nossas escolas públicas, onde estes direitos são menos discutidos e menos difundidos. Então acabam se perdendo muito nas escolas em relação à riqueza cultural que se possui, às suas potencialidades.

2.3 INSERINDO A EDUCAÇÃO FÍSICA DE FORMA SIMPLES E EFICAZ
O professor deve ensinar o aluno a ter disciplina e isso se torna mais fácil em atividades onde se tem regras a seguir. Isso faz com que sua função seja importante na formação do aluno para a sociedade, ainda que não seja valorizado. Por isso, é muito importante despertar no aluno a consciência de cuidar da saúde, e ter hábitos saudáveis.

Atualmente, a análise crítica e a busca de superação dessa concepção apontam a necessidade de que, além daqueles, se considere também as dimensões cultural, social, política e afetiva, presentes no corpo vivo, isto é, no corpo das pessoas, que interagem e se movimentam como sujeitos sociais e como cidadãos.
(BRASIL, 1997, p.22)
Assim o mesmo pode transmitir esses conhecimentos para a família e para a sociedade em geral. Portanto, é importante o docente e a escola usarem ferramentas que possam impactar de maneira positiva a vida do aluno, como por exemplo: palestras, debates, peças teatrais, jogos sobre a atividade física e a alimentação saudável.

Os conhecimentos sobre o corpo, seu processo de crescimento e desenvolvimento, que são construídos concomitantemente com o desenvolvimento de práticas corporais, ao mesmo tempo que dão subsídios para o cultivo de bons hábitos de alimentação, higiene e atividade corporal e para o desenvolvimento das potencialidades corporais do indivíduo, permitem compreendê-los como direitos humanos fundamentais.
(Brasil, 1997, p.25)

É nas aulas de educação física que muitas vezes aprendemos a lidar com o diferente, com as limitações físicas e psíquicas nossa e dos outros. Por isso, a importância do docente despertar essa percepção no aluno, para que ele leve para a vida o saber conviver e o saber respeitar a diversidade que faz parte da sociedade.
Os melhores exercícios nas aulas são sempre aqueles que envolvem brincadeiras descontraídas, dinâmicas ao ar livre, no entanto são diferentes dependendo da faixa etária ou ciclo que o aluno está. Segue alguns exemplos de exercícios e brincadeiras dirigidas e jogos

Amarelinha: Com um giz branco, desenhar o diagrama composto de 10 quadros, e depois numerá-los de 1 a 10, com diferentes cores de giz. Pode fazer uma amarelinha menor ou maior, segundo o tamanho e as capacidades das crianças. Feito isso, para começar a jogar, a criança deve se posicionar de costas, atrás do primeiro quadrado, e atirar o marcador. A casa onde cair o marcador será o quadrado em que a criança não poderá pisar. A criança começará o circuito da amarelinha pulando com um (nas casas solitárias) ou dois pés (nas casas duplas) segundo a posição dos quadrados. O objetivo é, sem pisar na casa onde está o marcador, que a criança percorra pulando a amarelinha até o número 10, pegue o marcador e volte. Se a criança errar, ou seja, não conseguir se equilibrar para pegar o marcador, então será a vez do próximo jogador. Será vencedora a criança que consiga completar todo o percurso primeiro, ou seja, que vá e volte trazendo o marcador, sem se desequilibrar. Também se pode inovar neste jogo. Pode se fazer amarelinhas com formatos diferentes, para facilitar ou dificultar a brincadeira, pois a criatividade também conta.

Coelhinho sai da toca: Dividir as crianças em grupos de três: duas ficam de mãos dadas, formando a toca e a terceira fica no meio representando o coelho. As “tocas” devem estar espalhadas pelo local da brincadeira. Devem ficar duas ou mais crianças sem toca, no centro da área. Quando tudo está pronto, alguém diz: “Coelhinho, sai da Toca!”. E todos tem que mudar de toca. As crianças que estão no centro têm que tentar ocupar as tocas que ficam vazias enquanto as demais procuram uma nova toca. Quem ficar sem toca, vai para o centro e a brincadeira recomeça.
Dança das cadeiras: faça uma roda de cadeiras e outra roda de crianças em volta das cadeiras, sendo que deve ter uma cadeira a menos que o número de crianças que vão brincar. Começa a tocar a música e as crianças andam em volta das cadeiras com as mãos para trás. Quando a musica parar todas as crianças devem sentar-se. Saí da brincadeira quem não conseguiu sentar-se, tira-se uma cadeira e a brincadeira recomeça. Ganha quem sentar na ultima cadeira.
Morto-Vivo (vivo-morto): uma criança é escolhida para ser o chefe, ou seja, é quem vai dá ordem e as outras crianças deverão obedecer. O chefe dirá morto ou vivo. Se o chefe diz morto às crianças devem abaixar. E se o chefe disser vivo, as crianças devem ficar de pé. O objetivo do chefe é fazer os participantes ficarem confusos com sua comanda que deve ser cada vez mais rápida. Quem errar sai do jogo, a criança que sobrar é a vencedora.
Pular Corda: Duas pessoas batem corda e uma terceira pula. O trio canta a música abaixo e seguindo as instruções que cada frase pede: Um homem bateu em minha porta e eu, a – bri. (nesta parte da cantiga apenas pular a corda); Senhoras e senhores, ponham a mão no chão (neste momento a criança pula e, rapidamente, abaixa e toca o chão);
Senhoras e senhores, pulem num pé só (agora a criança pula com um só pé);
Senhoras e senhores, deem uma rodadinha (a criança pula e roda);
E vá, pro olho, da rua ,tudo isso sem deixar que a corda encoste nela.
Na escola, a criança tem a chance de se socializar umas com as outras através da recreação, jogos e brincadeiras dirigidas. Por isso a educação física tem a como objetivo principal de contribuir para que a criança desenvolva a autoconfiança interagindo com o grupo e também desenvolver habilidades motoras.

A educação física é uma porta para a formação social e de princípios do educando. É preciso que o professor tenha autonomia para administrar e despertar esses valores no aluno, transformando o meio em que vive.

3. CONSIDERAÇÕES FINAIS
Ainda que entendendo os limites do tema trabalhado para apontar soluções, este trabalho tem como um de seus principais objetivos, sensibilizar e demonstrar sobre a dimensão que o esporte tem na escola, assim esclarecendo os aspectos positivos que o mesmo traz a vida acadêmica. Com os argumentos apresentados no corpo deste trabalho, entende-se que foram apresentados os aspectos de mais importância do esporte no ambiente escolar, principalmente para que se traga algo significativo, e assim fazer com que haja uma transformação da ideia que se tem do esporte na escola. É fato que há muitas coisas a se fazer para transformação do esporte escolar.
O esporte que se espera ser implantado na escola deve desenvolver através de um trabalho pedagógico que tenha como seu principal objetivo o resgate do aluno ,por isso também a interesse em destacar a importância da educação física como parte do componente curricular no curso de pedagogia , levando em consideração que o esporte tem o artifício de destacar o coletivo sobre o individual, intensificando não somente as habilidades físicas, cognitivas e, também ajudar a construir valores e atitudes para a vida em sociedade, cooperando para a formação do senso crítico, através, do respeito, da superação e da aceitação de normas e regras em seu meio social. Assim como este conhecimento deve possibilitar o entendimento de que a prática esportiva deve ser um direito.
Deste modo deve-se destacar a importância das aulas de Educação Física e trabalhar o esporte com consciência de que ele é um tema importante para construção do ser humano que está em constante transformação.

 

 

 

 

REFERÊNCIA
Artigo: A FORMAÇÃO PROFISSIONAL E A PRÁTICA DOCENTE , Vagula, Edilane
Disponívelem:<http://www.gestaoescolar.diaadia.pr.gov.br/arquivos/File/producoes_pde/artigo_edilaine_vagula.pdf>
Acesso em 09/05/2018
Artigo: A IMPORTÂNCIA DA EDUCAÇÃO FÍSICA ESCOLAR, SORATO, Maurício, HUF, Tânia e MIRANDA, Simone
Disponível em:<http://www.pucpr.br/eventos/educere/educere2009/anais/pdf/3484_2122.pdf>
Acesso em: 09/05/2018
Artigo: Repensando o esporte na educação física escolar a partir de Cagigal, NEUENFELDT,Derli e CANFIELD,marta
Disponível em:< https://www.redalyc.org/pdf/1153/115318300004.pdf >
Acesso em 09/05/2018
Texto: Jean Piaget e as Fases do Desenvolvimento Infantil
Disponível em:<https://www.portaleducacao.com.br/conteudo/artigos/psicologia/jean-piaget-e-as-fases-do-desenvolvimento-infantil/55035>
Acesso em 15/05/2018
Brasil. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros curriculares nacionais : Educação física / Secretaria de Educação Fundamental. – Brasília : MEC/SEF, 1997.
Disponível em: <https://portal.mec.gov.br/seb/arquivos/pdf/livro07.pdf>
Acesso em 18/05/2018

 

Página Inicial

Deixe um comentário